domingo, 2 de outubro de 2011

Eu Mesma































Quando se tornou normal alguns médicos atenderem seus pacientes atrás de um computador e não examiná-los?

Quando foi que “mulheres” se transformarem em caçadoras no cio? 
Quando que o Rock in Rio passou a apresentar cantores de axé ou pagode?
Quando foi que deixamos que a mídia nos manipulasse tão intensa e descaradamente?
Quando foi que ser heterossexual se tornou obsoleto?



Depois de todos os questionamentos percebi mais claramente meus defeitos, e decidi assumir minhas qualidades. Senti que de alguma forma valia à pena, e que eu poderia continuar sendo eu mesma sem ter de fingir, ou viver na bolha.

Assim, farei parte da sociedade, mas não terei mais de decorar falas e frases para poder ser uma pessoa normal. Serei eu, como minha consciência me dita. Resolvi assumir meus erros, e olhar minhas qualidades, encarei minhas manias, minhas neuroses, minhas chatices, meus amigos, minha família.


 E depois de aceitar-me como sou posso contar aos quatro cantos da Terra...

         


Não conte com meus aplausos, tenho minha maneira de admirar as coisas. 


Choro sim, mas somente quando tenho vontade e não tenho vergonha de fazê-lo.
Caso não saibam, também aprendi com muito custo a me respeitar, assim antes de fazer algo que me será extremamente desagradável, procuro analisar como me sentirei. E diferente do que possam pensar isso não é egoísmo, isso é ser realista, afinal como posso querer ajudar e respeitar alguém se não consigo fazer o mesmo por mim.



Se me perceberem quieta, deixe que eu permaneça assim, às vezes eu preciso do silêncio, de ser anônima, dentro do meu próprio anonimato.















2 comentários:

alessandra paula disse...

To preferindo viver numa bolha

TCristina disse...

srrsr, imaginei que fosse dizer isso... tô precisando pegar vc pela orelha....